Lixões de volta ?

0

 

Quem é que gosta de lixões? Acreditamos que ninguém, mas vários prefeitos brasileiros querem, não só de volta os lixões, como também prolongar suas existências, para economizarem recursos, talvez para promoverem shows com bandas de forró, distribuição de cestas básicas e mais dinheiro para nomear amigos em cargos comissionados. O fim dos lixões foi decretado em 2010 com a lei 12.305/10, mesmo assim foi dado um prazo de quatro longos anos, para que os prefeitos viabilizassem o encerramento dos lixões e instalasse aterros sanitários. O Governo Federal chegou a disponibilizar no Programa de Aceleração Econômica (PAC 2) R$ 1,5 bilhões em crédito, para os municípios investirem em projetos de aterros sanitários. Contudo poucos prefeitos se interessaram em realizar os projetos e assim ter acesso aos recursos. As lideranças municipalistas preferiram investir na politicagem de prorrogar o prazo do encerramento dos lixões para 2020, intenção criminosa que chegou a ser aprovada pelos parlamentares demagogos, mas rejeitada pela Presidência da República. Os prefeitos tiveram tempo e dinheiro para resolver o problema na época, mas não quiseram. agora os atuais gestores, se acham “vítimas” de seus sucessores e tentam jogar o problema para as futuras gerações. Neste contexto o Estado de Alagoas dá um exemplo ao Brasil de que é possível cumprir a lei e preservar o meio ambiente. Todos os lixões foram extintos graças a força do Ministério Público, Imprensa e do Governo do Estado, ponto fim aos famigerados lixões, que os prefeitos querem tanto de volta. Então quem é gosta de lixo mesmo?

 

Futuras gerações

 

Ridícula a posição tomada por determinadas lideranças municipalista em defesa da volta dos lixões. Uma intenção criminosa que compromete o futuro das gerações, que estão incluídos seus filhos e netos. São pessoas inescrupulosas, que desejam economizar recursos para fazer festas com o dinheiro público.

 

Delmiro/Trabalhador

 

Em alusão ao dia do trabalhador, comemorado no dia 01 de maio, a Comissão dos Direitos Trabalhistas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) da subseção de Santana do Ipanema, ofertou, na sala da OAB de Delmiro Gouveia em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, a realização de exames rápidos para toda a população.

 

Piranhas/locomotiva sumiu

 

A locomotiva que estava em Piranhas, foi levada pela CBTU porque estava servindo de mictório público, já que a prefeitura não mantinha a vigilância desse patrimônio que pretende a União. Também o convênio venceu e a administração municipal nunca se interessou e renovar, segundo a CBTU. A locomotiva era um atrativo turística se seria usada em um projeto de passeio de trem no município.

 

Arapiraca/food truks

Os donos de food trucks poderão ter um espaço com toda infraestrutura necessária para atender aos seus clientes se a indicação do vereador Fábio Henrique, for acatada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura. O vereador pede a instalação da Praça de Food Truck, no Bosque das Arapiracas, com banheiros, mesas e bancos para a comodidade da população.

Arapiraca/defesa
O vereador Fabiano Leão usou a tribuna para se defender das acusações por ter concedido o Titulo de Cidadão Arapiraca, que o criticou por ter concedido o Título de Honorário de Arapiraca, ao Professor Ivanildo Nunes da Silva, acusado na época de pedofilia e que foi inocentado pela justiça de todas as acusações.
Arapiraca/Cabo Bebeto
O vereador Fabiano Leão também criticou a atitude do deputado estadual Cabo Bebeto, que tentou denegrir a sua imagem ao fazer comentários sem saber o assunto e pediu ao deputado que respeite Arapiraca.  Fabiano Leão disse que o Professor Ivanildo Nunes da Silva, não merece passar o que passou inocentemente por acusações infundadas.

Arapiraca/solidários
Os vereadores Willomaks da Saúde e Graça Lisboa também foram solidários as palavras do vereador Fabiano Leão, lembrando que o próprio Didira, que hoje está no Centro Sportivo Alagoano, foi formado nas Escolinhas de Futebol do Professor Ivanildo.

Arapiraca/criticas

O vereador Edvânio do Zé Baixinho lamentou o tratamento dado pela administração municipal no setor de saúde, dando uma nota zero. Ele disse que até mesmo o material de limpeza e higiene está faltando, obrigando os servidores a fazerem a chamada vaquinha para poder comprar esse material.

Programa do Leite

 

Os produtores cadastrados no Programa do Leite estão magoados com o tratamento que vem sendo dado a eles. Os produtores cobram agora o pagamento dos meses de janeiro, fevereiro e abril do Programa. Segundo ele a contrapartida do Governo Federal já está disponibilizada e falta apenas a Secretaria Estadual da Fazenda libera a o Estado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

COMPARTILHE

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA