Resorts: queda no faturamento do “turismo de massa”  

0

GRAFICO QUEDA

Os números apresentados este ano pelo relatório da Resorts Brasil, demonstra que o  turismo de “massa” representado pelo segmento hoteleiro de resort teve uma grande queda de 11,5% e um decréscimo de 5,94%, nos resultados da TrevPAR, que mede o índice que mensura de maneira detalhada o desempenho das vendas.

A receita das propriedades no mesmo período cresceu 6,49% nominalmente, mas em números reais, aplicado o Índice Geral de Preços com a medição da inflação para o período, virou queda de – 0,69% na comparação com o ano passado.

A entidade aponta como vilões dessa queda de receita a insegurança econômica, enquanto a reforma da previdência não avança, e a inesperada redução na oferta de assentos aéreos, com os desdobramentos do caso Avianca Brasil, influenciaram negativamente.

Embora essa argumentação tenha fundamento, há também uma tendência no mercado de mudança do perfil do turista, que deseja opções de hospedagem mais personalizada e com um número menor de pessoas nos estabelecimentos. Os brasileiros estão descobrindo que não é nada saudável compartilhar uma piscina com 300 pessoas ao mesmo tempo. Para fazer essa avaliação basta ver como está a piscina no final do dia, sem falar do restaurante que faz cozinha para “batalhão”, muitas vezes sem qualidade.

Outros mercados

A atividade turística brasileira está jogando todas as cartas no mercado interno, deixando de agir estrategicamente na busca de mercados internacionais mais sólidos financeiramente. Esta observação foi realizada pela missão portuguesa que esteve em Alagoas semana passada, alertando para necessidade de investir em marketing na Europa.

Mais que avaliar as causas, também se pondera os fatores que podem influenciar no restante do ano, considerando a mesma conjuntura. “Mesmo assim, é fundamental analisar que mesmo com todos contratempos em nosso setor, devemos avaliar os meses que virão e nos ajustar ao novo cenário”, afirma.

Mais número

O estudo também apontou a receita média gerada por hóspede. Esse quesito mostra que, em 2019, os clientes de resorts tiveram que gastar mais. A média individual de gastos foi de R$ 511,87 por pessoa, aumento de 10,90% sobre o visto no ano passado.

COMPARTILHE

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA