Geral

CONORTE E O FIM DOS LIXÕES

CONORTE E O FIM DOS LIXÕES

Os municípios do Litoral Norte associados ao0 Consórcio Intermunicipal de Resíduos Sólidos do Norte (Conorte) deverão ainda este ano encerrar seus lixões. Para isso acontecer, o prefeito David Pedrosa (PMDB), presidente do Conorte, já está providenciando a escolha de uma área para instalação da estação de transbordo dos municípios consorciados. A área fica em Porto Calvo, já que o município está equidistante dos outros. A estação de transbordo é um local devidamente preparado para transferência dos resíduos recolhidos pela coleta nos municípios consorciados nas carretas que levarão o lixo para a Central de Tratamento de Resíduos (CTR), localizada no Pilar. De acordo com o presidente do Conorte, David Pedrosa, essa ação vai possibilitar o cumprimento do decreto presidencial 12.305/10, que determinou o encerramento dos lixões em agosto de 2014. Ainda segundo o presidente do Conorte, a instalação da estação de transbordo foi a forma mais econômica de cumprir a lei, já que, para criar um aterro sanitário, seria muito mais caro e teria um custo aproximado de R$ 20 milhões, além de levar cerca de três a quatro anos para funcionar, depois de cumprir todo o trâmite burocrático para obter o licenciamento ambiental. David Pedrosa disse ainda que analisou todas as alternativas para encerrar o lixão de sua cidade e destinar de acordo com a legislação ambiental os resíduos e discutiu com os consorciado. Segundo ele, depois de fazer as contas “na ponta do lápis”, fica mais barato e rápido instalar uma estação de transbordo e transportar os resíduos para a CTR no Pilar.

ATERROS CERTIFICADOS

Em Alagoas existem quatro locais certificados para operar como aterro sanitário: em Maceió, no Pilar, no Agreste, em Arapiraca, e no Sertão, em Olho d’Água das Flores. O decreto presidencial 12.305/10 determinou o encerramento de todos os lixões no Brasil. De agosto de 2014 até hoje, pouco mais de 30% dos municípios brasileiros estão cumprindo a Lei Federal, embora mais de 50% já foram notificados.

TEOTÔNIO VILELA

O meio ambiente venceu mais uma batalha e a lei está sendo cumprida em Teotônio Vilela. Graças à juíza Lívia Maria Mato de Melo Lima e ao promotor de Justiça Ramon Formiga, o enorme lixão do município terá que ser encerrado em 30 dias, sob pena de multa de R$ 20 mil para o município e

de R$ 5 mil para o prefeito Joãozinho Pereira, que não vinha cumprindo o decreto federal 12.305/10.

TEOTÔNIO VILELA 2

O lixão em Teotônio Vilela, além de ser um crime ambiental, é um local de focos de doenças e a manutenção de uma situação sub-humana de várias famílias submetidas à miserabilidade e à degradação da existência do cidadão, que

busca na coleta insalubre do lixo a sua sobrevivência. Uma situação que começa a mudar na maioria dos municípios alagoanos graças à Justiça, que tem agido firme no cumprimento da lei.

JOVEM PROMOTOR

O MP, através do jovem promotor Ramon Formiga, não poupou esforços e se debruçou sobre a problemática, fazendo uma análise profunda dos custos do transporte dos resíduos produzidos pela população de Teotônio Vilela, e certificou-se, através de dados incontestáveis, que o município tinha condições orçamentárias para realizar o transporte do lixo para o local certificado ambientalmente.

Coluna completa nas bancas ou no formato digital

Artigos relacionados
CotidianoGeral

Barra de Sto Antônio homenageia São Sebastião

Toda comunidade católica da Barra de Santo Antônio está oração em homenagem a São Sebastião desde o dia 17, quando…
CotidianoGeral

Governo de Sergipe realiza audiência pública sobre concessão do Centro de Convenções

A Secretaria de Estado do Turismo de Sergipe (Setur) realizou audiência pública sobre o projeto de concessão onerosa do Centro…
CotidianoGeral

Reconstruir a AMA

A disputa pela presidência da Associação dos Municípios Alagoanos começou e merece todo aplauso porque é fruto da democracia e…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :