Geral

Lixo: máscaras contaminada

O surgimento de máscaras e luvas nas praias de Maceió é indícios do surgimento de um problema sério que ameaça a saúde pública, não só da capital alagoana, mas também em todos municípios, que precisam de uma política de destinação de resíduos urbanos, condizendo com a atual situação que vivemos de pandemia.  Enquanto não tiver uma vacina, ou até mesmo um método eficaz para o tratamento das complicações causadas pelo coronavírus, toda medida preventiva deve ser tomada, objetivando evitar a sua disseminação. Empresas como as redes de supermercados, que possui um grande número de colaboradores e que ficam abertos diariamente, dia e noite, assim como as farmácias e hotéis que estão hospedando pessoas da saúde, que trabalha no linha de frente no combate ao covid-19, estão utilizando um grande numero de máscaras, luvas e outros itens de higienização. Esse material está sendo descartados junto com resíduos comuns. Este fato coloca em risco a saúde dos trabalhadores que fazem a coleta, como também de toda população, já que os carros coletores circulam por toda cidade com esse material contaminado. O vírus se propaga com uma grande facilidade, principalmente em ambiente úmido, além do perigo de sua mutação ocorrer se interagir com outros organismos vivos, existentes no lixo doméstico. Não precisa ser um especialista para se chegar à conclusão da necessidade de implantação de normas para o recolhimento desse material. São imperiosas a fiscalização e o transporte adequado das máscaras e luvas e todo material contaminante. A saúde da coletividade está em risco. Ressaltando que ainda não há vacina para o covir-19 e Brasil já ultrapassa a casa dos 30 mil mortos, e ocupa o segundo lugar nesse ranking tenebroso.

Plano de contingência

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) recomenda que os prefeitos adotem um Plano de Contingência (Plancon), que é um instrumento de planejamento que toda Prefeitura deveria elaborar, principalmente para algumas áreas que apresentam mais riscos para a coletividade, caso entrem em colapso ou sejam afetadas por algum desastre, tais como defesa civil, saneamento, meio ambiente, assistência social, segurança, saúde, educação, dentre outras.

Plano de contingência 2

O Plancon funciona como um planejamento de resposta e, por isso, deve ser elaborado na normalidade, quando são definidos os procedimentos, as ações e as decisões que devem ser tomadas na ocorrência de um desastre, de uma anormalidade que afetará diretamente o coletivo de um local (BRASIL, 2007).

Responsabilidades

O Plano de Contingência é um documento normativo onde são descritos de forma clara, concisa e completa os riscos, os atores e suas responsabilidades em situações emergenciais. Ele deve conter informações que auxiliem na limitação dos danos e na recuperação de falhas.

Objetivos

Seu objetivo é estabelecer os procedimentos que devem ser adotados em caso de ocorrência de eventos indesejados e perigosos, de maneira que possa minimizar, ao máximo, os danos causados à população local e preservar, na medida do possível, o funcionamento normal dos serviços públicos, principalmente aqueles considerados essenciais.

Arapiraca/regional

As conquistas também fazem parte da luta contra o covid-19 e o Hospital Nossa Senhora do Bom Conselho, em Arapiraca, 32 pacientes fazem parte dessas vitórias já que receberam alta médica desde o início da implantação de leitos exclusivos para doença, em meados de maio. As informações foram divulgadas através de um Boletim Diário interno da instituição. 

Arapiraca/regional 2


Essas vitórias são resultado de um grande empenho por parte dos profissionais de saúde que estão na linha de frente da assistência aos infectados. Elas foram comemoradas pela direção do hospital. O diretor médico Ulisses Pereira parabenizou o trabalho da equipe e destacou o momento como único na história da instituição. 


Programa do Leite

Comunidade de vários municípios alagoanos desde semana passada que denunciam nas emissoras de rádio que a distribuição do leite não está mais ocorrendo. O Governo Federal não repassou os recursos da contrapartida para manutenção do Programa do Leite, já o Governo do Estado cumpriu sua parte do convênio.

Programa do Leite 2

Em Alagoas são mais de 80 mil famílias beneficiados com Programa do Leite que existe há mais de 15 anos e nunca foi suspenso. Na bancada federal, apenas duas vozes se levantaram em favor dessas famílias: senador Fernando Collor e o deputado federal Marx Beltrão. Na Assembleia Paulo Dantas e Chico Tenório. O Governo Federal não vem cumprindo com a sua parte no Programa do Leite.

Artigos relacionados
CotidianoGeral

Governo de Sergipe realiza audiência pública sobre concessão do Centro de Convenções

A Secretaria de Estado do Turismo de Sergipe (Setur) realizou audiência pública sobre o projeto de concessão onerosa do Centro…
CotidianoGeral

Reconstruir a AMA

A disputa pela presidência da Associação dos Municípios Alagoanos começou e merece todo aplauso porque é fruto da democracia e…
Geral

Embratur lança selo comemorativo aos 54 anos de existência na promoção internacional do Brasil

O presidente da Embratur Gilson Neto apresentou o selo comemorativa aos 54 anos da Instituição em cerimônia em Brasília com…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :