AgresteCotidiano

Vereadores agora pede redução da suplementação orçamentária e juram que não “tem toma lá, dá cá”.

O impasse entre os vereadores de Arapiraca e a prefeita Fabiana Pessoa, relacionado ao pedido de suplementação orçamentária, está causando uma situação de caos na maior cidade do interior de Alagoas, que tem 220 mil habitantes e atende a mais de 550 mil pessoas de toda região Agreste, nos serviços essenciais de saúde, educação e demais atividades realizadas pelo Poder Público.

A primeira mensagem enviada pelo Poder Executivo foi no dia 28 de outubro, sendo enviada uma segunda no dia 11 de novembro com retificação no percentual de 10 % para 15%. Segundo a Prefeitura o aumento do custeio da máquina pública tem com motivação o incremento das ações sociais de atendimento à população e também obras que foram iniciadas, além de melhorar a limpeza da cidade, que sofria com o acúmulo do lixo urbano.

Os vereadores, contudo, travaram o processo de aprovação do pedido de suplementação argumentando, a princípio, que não foram enviado os balancetes dos meses anterior das despesas realizadas, mas que foram enviados no dia primeiro de dezembro, junto com o as despesas que serão saldadas com o valor solicitado.

Entretanto, para surpresa do Poder Executivo, os vereadores agora apresentam um novo argumento para não votarem o pedido de suplementação orçamentária. Na última terça-feira (2), os vereadores pediram a redução do valor solicitado sob alegação que seria “muito dinheiro”.

Entre as obrigações orçamentárias estão os salários dos servidores, ativos e inativos do mês de novembro, previsto para serem pagos no próximo dia 10; pagamento dos hospitais e clínicas conveniadas, além de fornecedores e prestadores de serviços diversos, entre ele a empresa que faz o recolhimento do lixo da cidade.

O impasse agora é creditado aos vereadores estariam gerando um caos na cidade e que pode ter consequências sérias com a suspensão do atendimento médico aos pacientes que recebem tratamento do combate ao câncer. 

O presidente da Câmara, Jairo Barros, afirma que esse impasse não é da Câmara e jura que não tem nenhum jogo nos bastidores da velha política do “toma lá, dá cá”, ou seja, não haveria outros interesses escusos por trás do comportamento dos vereadores. 

Artigos relacionados
CotidianoNotícias

Prefeitura da Barra de Santo Antônio garante medicação à população

A administração da prefeita Lívia Carla e do vice Cleber Malta, esta mudando a realidade da Barra de Santo Antônio…
CotidianoNotícias

Prefeitura do Pilar recebeu R$ 200 milhões de royalties, informa vereadora Thaís Canuto

Um processo judicial entre os municípios de Marechal Deodoro e Pilar, pela posse da Estação Coletora de Embarque e Desembarque…
AgresteCotidianoNotícias

Covid-19: Hospital Regional de Arapiraca vacina todos os funcionários

Uma boa nova vem do Hospital Regional Nossa Senhora do Bom Conselho, referência em atendimentos na cidade de Arapiraca e…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :