ALAGOASDestaquesNotícias

Negócios de Alagoas superaram desafios em 2020

Um ano atípico como 2020 trouxe uma série de desafios a serem superados. Artesãos, associações e cooperativas atendidos pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) tiveram suporte para construir bases, continuar crescendo e, ainda, aumentar suas vendas, implementar novas estratégias, participar de eventos e divulgar seus trabalhos. 

Alguns empreendimentos realizaram vendas únicas de mais de R$70 mil, outros iniciaram projetos de implantação de placas de energia fotovoltaica, deram exemplo e se reinventaram, inspirando outras pessoas a fazerem o mesmo, adequando métodos a seus negócios. Durante o período de mais incidência do coronavírus em Alagoas, quando a circulação de pessoas no Estado foi a menor possível, a Sedetur lançou o Idealize Live, como alternativa para o evento que acontece todos os anos. 

Em uma série de cinco palestras desenvolvidas no Instagram, os conteúdos levaram aos negócios exemplos de inovação e ideias para sair da crise. Juntos, esses encontros impactaram cerca de cinco mil pessoas, que também contaram com um material de apoio fornecido no site da Sedetur. 

Entre as ações da secretaria voltadas para impulsionar o pequeno empreendedor estão as que beneficiaram o artesão alagoano. A Gerência de Artesanato desenvolveu a plataforma Galeria Alagoas Feita à Mão, um espaço virtual voltado exclusivamente ao segmento e funciona como uma espécie de marketplace. O site conta com 100 artesãos ativos atualmente e promove o contato direto entre o produtor e o cliente. 

Além disso, o órgão articulou com o Parque Shopping Maceió o espaço Galeria Alagoas Feita à Mão que tem foco na comercialização de máscaras artesanais produzidas de bordados típicos de Alagoas. A loja, instalada em agosto desse ano, ampliou a comercialização para outro espaço e produtos e continua ativa renovando sua coleção para o verão. “Este foi um ano difícil, porque a gente trabalha principalmente com o movimento de turistas no estado. A nossa esperança foi a plataforma do artesanato, onde mesmo estando dentro de casa conseguimos vender nosso produto. Quando o Governo conseguiu a parceria com o Parque Shopping vimos as portas se abrirem. Fui surpreendida com o movimento que, no primeiro mês, consegui vender R$ 6 mil, um valor que faríamos em uma feira. Nos quatro meses, faturamos em média entre R$ 16 mil e R$18 mil”, expõe Ana Cristina, artesã do Fulô.A. 

Os programas desenvolvidos pela Sedetur têm como objetivo o desenvolvimento desses segmentos – como de artesanato e empreendedorismo local – dando bases para que possam crescer dentro do seu nicho e promover renda. 

“Nós temos muito orgulho que, diante de um ano difícil como esse, tenhamos conseguido executar estratégias tão importantes para o público que atendemos. Ver pequenos negócios e artesãos alcançando bons resultados de vendas é sinal de que temos feito um bom trabalho dando base para o seu crescimento”, pontua Rafael Brito, secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo. 

ALAGOAS MAIOR

JONL0940.jpg

Em União dos Palmares, o Apiário Zumbi dos Palmares tem se desenvolvido e alavancando suas vendas com o apoio do Alagoas Maior, coordenado pela Sedetur – através da Superintendência de Desenvolvimento Setorial e Regional – em parceria com o Sebrae Alagoas. O grupo é atendido pelo programa há cinco anos, quando teve a oportunidade de viajar para feiras, conhecer e inserir seus produtos em outros mercados. 

O Apiário foi um dos 13 empreendimentos levados pelo programa para a Exposição Agropecuária de Produtos e Derivados de Alagoas (Expoagro). No evento, eles apresentaram pela primeira vez uma parceria com a Ecoduvale: frutas desidratadas e com embalagens adequadas para comercialização em supermercados. 

“Nosso pensamento é manter nossos produtos circulando no mercado e precisamos inovar para conseguir manter a estabilidade durante este ano. Buscamos não esperar que o consumidor viesse até a gente, mas levar o que vendemos até ele, trabalhamos muito a rede social. A mensagem que fica é essa: precisamos inovar a todo tempo para manter nosso diferencial”, explica o apicultor Jean Ferreira, proprietário do Apiário Zumbi. 

Em abril de 2020, início do período de crise pelo coronavírus em Alagoas, Jean conseguiu alcançar um faturamento entre 250% e 300% superior ao mesmo período do ano anterior. Nos meses seguintes, os valores se mantiveram estáveis em relação a 2019. 

Entre as atualizações para este ano, o programa promoveu um treinamento em seleção e produção de abelhas rainhas, consultoria de alimento seguro, boas práticas e construção de marcas. 

O Apiário Zumbi deu início ainda, junto a Superintendência de Mineração e Energia (Suem) da Sedetur, a um processo para instalação de placas de energia fotovoltaicas. O uso da luz solar nos empreendimentos promove a redução de custos na conta mensal, assim como reduz a poluição, das taxas de carbono e possui baixa necessidade de manutenção. 

ENERGIA

Placa Solar - Painel Solar - Jonathan Lins-11.jpg

O negócio de União dos Palmares será apenas um entre as mais de duas mil usinas fotovoltaicas de Alagoas. Esse total engloba instalações diversas que possuem placas de energia solar, melhorando o consumo de energia do local, além de beneficiar 3793 unidades consumidoras. O somatório de potência instalada é de 28,5 MW. 

A instalação dessas placas são incentivadas pela Sedetur, através da Suem, e tem como vantagem a redução de custos, menor índice de poluição, taxas de carbono e baixa necessidade de manutenção que colaboram para os negócios de Alagoas. 

O Balanço Energético de Alagoas (Beal) 2020-2019, publicado em outubro, mostrou que o estado alcançou a marca de 81% do uso energético por meio de recursos renováveis. Isso significa um avanço do desenvolvimento sustentável e eficiente, gerando mais postos de trabalho e investimentos para o setor no estado. 

Esse percentual é quase o dobro do número no Brasil, que possui 41% do uso energético por fontes limpas. Esse cálculo é feito levando em consideração os principais tópicos de energia primária: bagaço da cana, melaço da cana, caldo de cana, energia hidráulica, lenha, gás natural e petróleo.

PROTEÇÃO PARA TODOS

protecao_para_todos___jonathan_lins_20200805_1904153458.jpg

Durante a pandemia, a Sedetur lançou o projeto ‘Proteção Para Todos’, que beneficiou empreendedores do ramo de confecção em Alagoas com a compra de mais de 1 milhão de máscaras de tecido. Além de garantir a geração de renda dos empreendedores, a proposta do projeto também é uma medida de prevenção ao novo coronavírus. As máscaras foram distribuídas em feiras livres, mercados públicos e estabelecimentos comerciais para o uso da população em vulnerabilidade social e econômica nas cidades e bairros com maior registro de casos da covid-19 e maior índice de mortalidade.- 

Artigos relacionados
DestaquesNotícias

OCA Hotels vende unidades na Espanha para investir no Grand Occa Maragogi em Alagoas

Em comunicado a imprensa na última sexta-feira (5), o grupo hoteleiro espanhol OCA Hotels vendeu dois hotéis em Espanha para…
BLOG DO BALÃODestaques

VAMOS VOLTAR A VIAJAR?

Uma das perguntas que tenho recebido é quando vamos poder voltar a viajar de novo?  Viajar após a pandemia do Corona vírus…
ALAGOASCotidiano

Fase Amarela: entenda regras específicas para cada setor em Alagoas

Com o retorno de todo o estado para a Fase Amarela do Plano de Distanciamento Social Controlado, o Governo de…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :