Falência dos Impev

0
MA03119_Banner_Circuito_Creche

 

Os Instituto Municipais de Previdências dos municípios estão em situação financeira de pré-colapso em menos de três anos. Os fundos de previdência que deveriam terem recursos guardados, na sua maioria foi utilizado no pagamento de “consultorias”, que chegavam a R$ 1 milhão, sem qualquer motivo para isso. Essas contratações ocorreram justamente em anos eleitorais, uma coincidência incrível. Os Fundos de Previdências são formados pela contribuição dos trabalhadores da ativa, que um dia esperam se aposentar e receberem seus benefícios. Muitos ex-prefeitos foram indiciados em crime de improbidade administrativas, pouquíssimos foram condenados, mas o colapso total dos Imprev é eminente. Os atuais gestores, na sua maioria, são também vítimas dos abusos dos antecessores e mensalmente complementam o pagamento dos aposentados com recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Essa operação financeira comprometem o funcionamento da máquina administrativa e que em breve não poderá ser realizada, simplesmente porque não haverá mais recursos para isso. O resultado será o mesmo que ocorreu no Rio de Janeiro, ou seja, os aposentados não receberão mais seus benefícios, enquanto dos gestores que delapidaram os Fundos de Previdências estarão ricos e bem longe.

 

Arapiraca

 

Acontece hoje em Arapiraca uma importante reunião entre secretários da gestão municipal, vereadores, servidores e diretores do Instituto Municipal de Previdência para discutir o futuro dos aposentados e encontra uma equação para tentar salvar o Imprev e garantir o pagamento todo dia 30 e o décimo terceiro salário.

 

Arapiraca 2

 

Segundo o prefeito Rogério Teófilo o município vai receber cerca de R$ 10 milhões referente a Cessão Onerosa, recursos oriundos do leilão das áreas de exploração de gás e óleo na bacia de Santos.  O prefeito disse que o objetivo é tentar fechar o rombo do Imprev de Arapiraca, uma herança de gestões anteriores.

 

Arapiraca 3

 

De acordo com o presidente do Sinteal (Sindicato dos Trabalhadores de Educação de Alagoas) Arapiraca, Paulo Henrique, a falta de estruturação do Imprev vem da separação de fundos. “Ao nosso ver o que agravou foi a separação dos fundos, hoje são dois, um previdenciário e outro de investimento, onde essas contribuições são recolhidas e separadas. Isso ocorreu ainda na gestão do prefeito Luciano Barbosa e foi algo que não foi discutido com a categoria, apenas foi feito e hoje temos esse entrave, e nosso objetivo enquanto entidade representativa é buscar alternativas”.

 

Japaratinga

 

Em Japaratinga os aposentados dizem que recebem menos da metade dos valores do Instituto de Previdência Própria e geralmente os pagamento têm atrasados até dois meses. Já os representantes da prefeitura alegam que os aposentados devem entrar com um pedido administrativo para pedir ao INSS que repassem as contribuições que eles fizeram, para o Imprev.

 

Maragogi

 

Em Maragogi o Poder Executivo vem complementando o pagamento dos aposentados e mesmo assim há meses que atrasa. Segundo o prefeito Sérgio Lira a Reforma da Previdência pode salva os Imprev, mas é preciso celeridade na implantação das adequações para evitar o colapso e assim garantir o pagamento dos aposentados.

 

Porto Calvo

 

Em Porto Calvo o problema é o mesmo. O Poder Executivo todos os meses complementar o pagamento dos aposentados. Entretanto é preciso que o dinheiro dos Fundos de Previdência, que foi utilizado, seja recuperado. Em Porto Calvo o Fundo chegou a pagar R$ 400 mil a empresas de consultorias.

 

Porto Calvo 2

 

O prefeito David Pedrosa anunciou que vai contar com o apoio do Governo do Estado para pavimentar o Anel Viário na cidade ( projeto do ex-prefeito Ormindo Ucho) que vive atualmente um caos completo no trânsito. A cidade não dispõe de ruas largas e é um labirinto onde ninguém respeita as regras de trânsito. Todos estacionam os carros onde querem e não há qualquer autoridade que ponha ordem a bagunça.

 

 

Piranhas

 

A Justiça está investigando a prefeita Maristela Sena de Piranhas a aplicação de R$ 2 milhões na pavimentação de ruas no município. As denuncias dão conta que apenas 40% das ruas que deveriam ser pavimentadas, receberam pavimento. Os recursos são federais e a Justiça já determinou operação de busca e apreensão da documentação.

 

Piranhas 2

 

A locomotiva, que era uma atração turística em Piranhas foi levada para Maceió, onde está na Estação de Passageiros da CBTU e aguarda para ser usada no projeto de transporte turístico entre o bairro de Jaraguá e a reserva ecológica do Mutum de Alagoas em Rio Largo. Segundo a CBTU a locomotiva foi levada de Piranhas, porque a prefeitura abandono a composição que vinha servido de mictório. Um absurdo.

COMPARTILHE

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA